terça-feira, 21 de maio de 2013

SUSTENTABILIDADE DE REDES E ORGANIZAÇÕES SOCIAIS EM DISCUSSÃO


Os múltiplos desafios para a sustentabilidade de redes e organizações sociais foram discutidos na manhã desta terça-feira (21), em Olinda, durante o IV Encontro de Acompanhamento e Formação do Programa pela Educação Integral, do Fundo Juntos pela Educação. As discussões foram coordenadas pelos consultores em sustentabilidade Domingos Armani e Dalva Correa. Participam do encontro representantes dos três projetos apoiados pelo Fundo Juntos pela Educação em Pernambuco.

O sociólogo Domingos Armani lembrou que vários aspectos do contexto brasileiro e internacional estão alimentando diferentes desafios para as organizações e redes sociais. A projeção brasileira no cenário internacional, com a melhoria das condições econômicas, a ascensão da Classe C e a exportação de tecnologias sociais para todos continentes contribuiu, por exemplo, para a diminuição de investimentos no Brasil por parte de organizações internacionais que destinam recursos para países em desenvolvimento.

No cenário do Brasil, emergiram desafios resultantes da elaboração e implementação de políticas públicas em várias áreas, desde a década de 1990. Com isso, houve fortalecimento das ações de governo, repercutindo, por exemplo, na redução da atratividade para trabalho em organizações sociais. Também houve um avanço do investimento social privado, levando as organizações a redefinirem o seu papel. Uma alta rotatividade de pessoal, a existência de projetos de curta duração e dificuldades em termos de gestão administrativa são outros desafios permanentes para as organizações e redes sociais no Brasil.

Diante das modificações no cenário nacional e internacional, as organizações e redes sociais passaram a ter novos papéis - e esse assunto também está em discussão no encontro de Olinda, que termina nesta quarta-feira (22). Entre estes papéis está a atuação das organizações e redes sociais no controle social, na defesa de direitos, na complementaridade das ações do governo, na elaboração de políticas públicas junto com o governo e em dar visibilidade e trazer soluções para questões sociais. “As organizações têm importante papel em fazer o Estado e a sociedade se moverem em função de causas e políticas para diferentes áreas”, salientou Dalva Correa. A inovação em ações sociais, a militância social movida por causas e a geração de conhecimento são outros papeis importantes para as organizações e redes sociais no mundo contemporâneo.

O Fundo Juntos pela Educação é constituído pelo Instituto Arcor Brasil e Instituto C&A. O Programa pela Educação Integral apoia sete projetos em Pernambuco e Ceará. Cada projeto está baseado em uma rede composta por escolas públicas, organizações sociais e outros serviços públicos. São redes formadas para promover o desenvolvimento integral, através de oportunidades educativas que abordem todas as dimensões, de crianças, adolescentes e jovens destas comunidades.

Em Pernambuco, são apoiados os projetos Brincando com os Sons, em Olinda; Solidariedarte, em Igarassu, e Construindo saberes e direitos através da Educação Integral, no Recife. No Ceará, contam com apoio os projetos Nossas Histórias, em Fortaleza; Ecomuseu de Maranguape, no município do mesmo nome; e Hora do Jogo e Caldeirão das Artes, em Horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e colaboração.